18
dez
10

RAIBLUE

  

 
 
RAIBLUE
 
 

Versos sem rima, coração sem rumo.
Olhos, azul, pecado.
Portal de mistérios
Eros, Afrodite!

Átrio de encantos
Segredos de mulher
Anjo / demônio,
Arcanjo red.

Prazer que assusta!
Tormento de m´inhalma
Pulsações fibriladas
Pântano de luxúria.

Ptéros!
Pensamentos desnudos,
Côncavo no convexo
Contorno de curvas
Pecados em Vênus.

Sangue em Marte,
Azul da lua,
Calor do Sol,
Negror de Plutão!

Sons guturais
Sabor, suores, humores.
Sussurros…Perdição.
Lubrificações…

Pêlos, tez, tácito, trêmulo,
Olhos azuis.
Estupor em green
Líquidos em blues!

Coração…Molto
Pulsação…Vivace
Pensamento…Tremito
Troppo…Troppo!

Olhos Azuis,
Mar sem porto,
Nau sem timão,
Viagem sem volta.

Doce, salgado.
Pêlo eriçado
Absinto molhado.
Anis amaro.

Sono, sonhos.
Volitação, divagação.
Aroma de encantamento
DOCE MULHER!

Colo!
Colo em azul
Colo em blues
Colo de Raiblue!

Rendido ante a beleza dos seus olhos doce overmina
Escravizado pela mística de mulher
Esse é o meu canto final…O canto da vítima feliz !

 
 
 
Raphael Reys
 
 
 
 
 

0 Responses to “RAIBLUE”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: